5 técnicas de sobrevivência na prisão – Advocacia Mariz de Oliveira
875
post-template-default,single,single-post,postid-875,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-18.1,qode-theme-bridge,disabled_footer_bottom,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.2,vc_responsive

5 técnicas de sobrevivência na prisão

Há nove anos, Andrew Medal era um bem-sucedido executivo de um fundo de investimento nos Estados Unidos. Só que pôs tudo a perder em uma briga em um cassino. Ele quase matou um homem. A vítima teve que passar nove meses tratando lesões cerebrais. Posteriormente, Medal foi condenado a dois anos de prisão.

Ao perceber que iria para a cadeia, o americano pensou que, ao menos, tornaria útil o seu período atrás das grades. Naturalmente, não há internet na prisão. Mas Medal pôde ter bastante papel e caneta, receber algumas revistas e ler sobre vários assuntos. E, acima de tudo, tempo livre.

Por mais estranho que possa parecer, há várias “técnicas de sobrevivência” da prisão que podem ser muito úteis para quem tem a própria empresa. Em matéria publicada no site da revista “Entrepreneur”, Medal listou algumas delas. Confira:

Acorde cedo

Na cadeia de Medal, a primeira refeição era servida às 5 horas da manhã. Depois, só era possível comer ao meio-dia. A fome foi o gatilho para o americano “acordar com as galinhas”. Para continuar saindo da cama cedo, Medal usa um truque: compromete-se a fazer algo bastante importante logo no começo do dia. Em contrapartida, não trabalha até tarde da noite.

Escreva todo dia

Medal tinha acesso bem limitado a telefones, mas vontade de se comunicar com muita gente. A alternativa, então, foi escrever cartas. Criou um diário e pôs nele tudo o que o afligia. Posteriormente, adotou o hábito de enviar artigos para revistas. Compilou o que havia produzido e montou um livro. Segundo o empreendedor, o hábito é terapêutico, trouxe-lhe oportunidades profissionais e ainda ajudou a organizar seu dia fora da cadeia.

Leia

Medal leu 197 livros durante seu tempo na cadeia. E, por mais que houvesse tempo, a escolha de cada um dos títulos não era fácil. Isso porque Medal queria atingir um equilíbrio: não ler só para se entreter, mas para se tornar um empreendedor melhor. Ele mantém essa postura até hoje. Outro hábito dele que pode ser útil é marcar as passagens mais importantes de cada título e relê-las depois. Dessa forma, fica mais fácil absorver os conteúdos mais importantes.

Faça seu dinheiro render

Segundo o americano, havia uma lojinha na cadeia. No entanto, ela era extremamente cara. Porém, era necessária, pois a quantidade de comida servida na cadeia era muito pouca. Para sobreviver, ele teve que administrar seus recursos com muita disciplina. Empreendedores, que normalmente têm pouco dinheiro e muitas despesas, devem ter a mesma parcimônia para sobreviver.

Para vencer o sistema, entre no sistema

Na cadeia, Medal entendeu as regras para conseguir algumas vantagens. Primeiro, descobriu que, ao trabalhar na cozinha, comeria melhor. Depois, tornou-se um visitante habitual da biblioteca, o que lhe deu direito de usar uma máquina de escrever existente ali. Empreendedores, diz ele, devem ter o mesmo comportamento e descobrir o que, dentro da lei, pode beneficiá-los.

Fonte: Pequenas Empresas Grandes Negócios