Como é ser uma mãe na prisão – Advocacia Mariz de Oliveira
16606
post-template-default,single,single-post,postid-16606,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-18.1,qode-theme-bridge,disabled_footer_bottom,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.2,vc_responsive

Como é ser uma mãe na prisão

A fotógrafa Eman Mohammed tinha apenas 19 anos quando começou a cobrir os conflitos na faixa de Gaza. Ela passou doze anos documentando a violência do conflito com o objetivo de fazer as pessoas conhecerem os dramas da região.

Agora morando em Washington, nos Estados Unidos, Mohammed continua envolvida em projetos que valorize pessoas tradicionalmente incompreendidas. Seu trabalho atual foca em um grupo de mulheres que vivem com seus filhos atrás das grades.

Uma das fotografadas é Crystal Lansdale e seu filho, Kershawn. Quando foi presa, por traficar metanfetamina, ela não sabia que estava grávida. Apenas 12 prisões dos Estados Unidos permitem que mães vivam encarceradas com seus filhos. Há programas que foram fundados para incentivar o vínculo mãe e filho, promover a saúde infantil, ensinar habilidades parentais e reduzir a reincidência.

Confira aqui o trabalho “Babies behind bars” de Eman Mohammed clicando aqui.

Confira aqui a matéria sobre seu trabalho com as mães encarceradas clicando aqui.