ADVMO_foto_site_jorge

Quando a aula na faculdade não estava muito interessante, Jorge Salomão abria o Código Penal para ler. A intenção era prestar concurso para ser delegado, mas no quinto ano percebeu que queria mesmo advogar na área criminal. “Quando entrei na faculdade tinha uma visão muito romântica do que era ser delegado. Depois de estagiar no contencioso, percebi que queria advogar, que era uma vocação”, relembra.

Desde 2011 na Advocacia Mariz de Oliveira, ele está seguro da escolha. Tem habilidade para escrever e gosta de ajudar nas estratégias de um caso. É também um suporte importante para a equipe quando o assunto é tecnologia.

Veja aqui as áreas de atuação da Advocacia Mariz de Oliveira