Presos provisórios são 34% da população carcerária do país – Advocacia Mariz de Oliveira
1064
post-template-default,single,single-post,postid-1064,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-18.1,qode-theme-bridge,disabled_footer_bottom,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.2,vc_responsive

Presos provisórios são 34% da população carcerária do país

No começo do mês, o ex ministro José Dirceu obteve liberdade provisória. A liberação gerou discussões sobre o assunto e tornou-se uma boa oportunidade para falarmos sobre presos provisórios.

Aqui alguns dados:

  • Existem no Brasil 221 mil presos provisórios, cerca de 34% da população carcerária do país, segundo dados do Conselho Nacional de Justiça.
  • Esses detentos custam R$ 6,4 bilhões por ano aos cofres públicos,
  • Ou R$ 2400 por detento
  • 80% dos presos no Sergipe são provisórios
  • 29% dos presos provisórios são acusados de tráfico de drogas

A superlotação carcerária tem relação direta com o alto número de presos provisórios. Eles também servem como massa de manobra para facções criminosas, dizem alguns especialistas.

Algumas ações estão sendo propostas para diminuir o número de presos provisórios no país. Entre elas podemos citar a ampliação do uso de videoconferência nos processos judiciais para acelerar a tramitação, o uso de tornozeleiras e a nacilonalização das audiências de custódia.